Exibição NEGRO LÁ NEGRO CÁ na UNILAB

Hoje (06/05/2015) pude realizar a exibição do NEGRO LÁ NEGRO CÁ no lugar que provavelmente se concentra a maior quantidade de estudantes africanos aqui no Ceará. Expectativa de uma boa conversa após o filme, como nas outras exibições que pude fazer até então. E foi uma roda massa, galera muito interessante. É bom ver que seu filme mexe com as pessoas. E que, por mais que no momento não queiram externar seus pensamentos, acabam deixando transparecer uma inquietação durante e após assistirem.

A exibição na Unilab era uma espécie de ambição que eu tinha. Era, na verdade, quase uma obrigação imposta por mim mesmo. O filme ainda vai rodar por alguns lugares já marcados (como no festival Encontros de Cinema de Viana do Castelo, dia 9 de maio), por outros ainda com datas incertas e pelos que ainda possam surgir, sejam festivais, cineclubes, salas de aula ou no meio da rua. Em breve, também disponibilizarei um link público do youtube. Como tenho falado nas exibições: a principal intenção do filme é colocar o assunto na roda, fazer refletir, questionar.

O grande “X” foi que apenas um africano compareceu ao evento na Unilab. Sim, só um. Numa universidade em que 50% das vagas abertas são para estudantes africanos, apenas um foi assistir ao filme. Minha cabeça ficou borbulhando sobre os motivos disso ter acontecido, mas o fato é que voltei de Redenção com mais inquietações do que tranquilidade. Isso é bom!